Principal Notícias Últimas notícias As poças e os peixes
As poças e os peixes
Qui, 04 de Fevereiro de 2016 00:00

Um artigo publicado no último Boletim da Sociedade Brasileira de Ictiologia traz informações sobre o uso de áreas marginais alagáveis por peixes de igarapés amazônicos.

O artigo, publicado no último boletim da sociedade brasileira de ictiologia teve como objetivo principal divulgar para ictiólogos brasileiros e para o público em geral, informações sobre esses ambientes tão particulares: as poças, ainda bastante desconhecidas e por vezes negligenciadas, mas que tem levantado o interesse de pesquisadores da Amazônia.

Típica poça temporária formada próximo ao leito de um igarapé na Reserva Florestal Adolpho Ducke, Manaus. (Foto tirada do artigo "As poças e os peixes")

Sabe-se hoje que as poças podem ser ambientes diversos e que abrigam além de peixes, anfíbios, serpentes, invertebrados aquáticos e também plantas, tornando-se importantes para a manutenção da biodiversidade amazônica. Em relação aos peixes, estudos indicam que algumas espécies vivem nas poças somente nas primeiras fases da vida, migrando para o canal principal do igarapé quando se tornam adultas. Outras parecem usar as poças como refúgios contra predadores, já que não são todas as espécies capazes de habitar esses ambientes que, geralmente, possuem menor concentração de oxigênio comparada ao leito principal do igarapé, entre outras características próprias. Outras espécies parecem só sair das poças quando essas secam e, ainda sim, algumas espécies mais resistentes já foram encontradas em poças praticamente secas.

Na foto superior, um indivíduo da espécie Anablepsoides micropus (Rivulidae). Abaixo, dois indivíduos dessa mesma espécie encontrados em uma poça praticamente seca, na Reserva Ducke, Manaus.

Esse artigo atenta também para o fato de que esses ambientes ainda pouco conhecidos já sofrem grandes pressões antrópicas em áreas urbanizadas, mas também em áreas rurais e na construção de rodovias. Vale ressaltar aqui a necessidade de olhar mais atentamente para esses ambientes que ainda tem muito a nos ensinar.

Para saber mais sobre as poças e sua relação com os peixes de igarapés amazônicos, acesse o artigo.